Notícias

maio 7, 2021

SENAI e SEBRAE apresentam o MInA a empresários

Para elevar a competividade de pequenas indústrias de todo o Estado, o SENAI-PE e o SEBRAE-PE lançaram, na noite desta quinta-feira (06), o Programa Minha Indústria Avançada (MInA). Por meio da parceria, mil indústrias serão beneficiadas ao longo dos próximos anos com incentivos financeiros para a implantação do projeto, que reúne tecnologias de baixo custo da Indústria 4.0 e consultorias focadas no aumento da produtividade. O evento, realizado na Casa da Indústria, foi transmitido ao vivo pelo YouTube do SENAI Pernambuco.

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Ricardo Essinger, o MInA aparece como uma solução viável e capaz de ajudar as indústrias no período de retomada da economia. “Estamos saindo de um ano complicado, em que a indústria realmente sofreu. Agora, precisamos nos preparar para que, após a pandemia, estejamos com as nossas indústrias desenvolvidas”, pontuou Essinger que, atualmente, também ocupa os cargos de presidente do Conselho Regional do SENAI-PE e do Conselho Deliberativo do SEBRAE-PE.

O Programa MInA consiste na sensorização das linhas de produção das indústrias que são capazes de mensurar, em tempo real, dados úteis que podem ser utilizados para a gestão produtiva e o acompanhamento da eficiência da empresa. Esses dados são enviados para uma plataforma, que pode ser acessada a qualquer momento. Dentro do projeto, os consultores do SENAI-PE também atuam na interpretação dessas informações e propõem soluções para o aumento da produtividade por meio de ferramentas do lean manufacturing.

Ao todo, o custo do software e das consultorias soma R$ 16 mil. Dentro do Programa MInA, os empresários arcarão com 30% desse valor e com a compra da infraestrutura. Todo o valor restante será custeado pelo SEBRAE-PE. “Não é todo dia que encontramos uma solução que entrega um ganho de eficiência produtiva de 57,3% para as micro e de 22% para as pequenas indústrias. Essa iniciativa do SENAI-PE certamente entregará um valor tremendo aos empresários”, comemorou o superintendente do SEBRAE-PE, Francisco Saboya.

A diretora regional do SENAI-PE, Camila Barreto, destacou o quanto a instituição está trabalhando para desenvolver soluções que possam promover o aumento da competitividade do setor produtivo. “Sabemos que utilizar a tecnologia para aprender o que está acontecendo no chão de fábrica e tomar decisões mais ágeis é apenas o primeiro passo rumo à indústria que queremos ser no futuro – uma indústria mais produtiva, competitiva e tecnológica. Queremos enfatizar que o setor produtivo tem no SENAI um aliado nesse processo”, destacou.

PALESTRA – O evento contou, ainda, com a participação remota do economista e ex-presidente do BNDES, Luciano Coutinho, que proferiu uma palestra sobre o atual contexto vivenciado pelo Brasil no que se refere à inovação nas indústrias. Dados apresentados pelo especialista revelaram que, em 2017, cerca de 75% das indústrias brasileiras ainda estavam ocupando os primeiros níveis de maturidade digital.

“A grande pergunta que podemos fazer é como evitar que a indústria brasileira seja excluída do paradigma 4.0 para o qual a indústria mundial irá se mover? É preciso, entre outras coisas, multiplicar essas soluções de baixo custo e fáceis de implantar. O SENAI e os seus Institutos de Inovação desempenham um papel muito relevante nesse contexto”, afirmou o economista, que acrescentou, ainda, a importância de formar trabalhadores aptos a atuarem nesse novo contexto e de apoiar as grandes empresas que já estão utilizando essas novas tecnologias.