Notícias

nov 17, 2020

Reinventar certifica mulheres em instalação hidraúlica

O dia 30 de outubro foi de celebração para participantes da primeira turma do Projeto Reinventar. O motivo? O encerramento do curso de Qualificação de Instalador Hidráulico, promovido pelo Instituto Aliança (IA). As aulas teóricas e práticas foram oferecidas pelo SENAI Paulista, localizado na Região Metropolitana do Recife, entre os meses de agosto e outubro deste ano. Ao todo, 25 mulheres – sendo 22 venezuelanas e três brasileiras – concluíram o curso. O evento reuniu cerca de 200 pessoas, entre as formandas, familiares, equipe de formação do Instituto Aliança (IA), bem como parceiros e financiadores.

Toda a programação do evento foi construída pelas próprias mulheres e contou com depoimentos marcantes, exibição de animações de áudio e vídeo e falas institucionais. Mariegdis Sinai, uma das participantes da turma, partilhou o seu contentamento em participar da formação: “foi um privilégio muito grande ter participado da primeira turma de mulheres que serão as futuras profissionais de instalação hidráulica. Agradeço por este aprendizado, já que na Venezuela eu não teria esta oportunidade. Nos tornamos mulheres empoderadas e, agora, formadas, rumo ao mercado de trabalho”.

Seu tio, Ninger Tovar, fez questão de reforçar o impacto do projeto na vida de sua sobrinha. “Sou grato a Deus pela oportunidade de crescimento e formação que a minha sobrinha recebeu no projeto Reinventar. Foi um tempo que a ajudou a despertar para a sua própria vida, em características que ela mesma desconhecia. Ter chegado ao Brasil sem nenhuma perspectiva de trabalho sempre foi uma preocupação grande, por isso minha família ficou muito contente não só pela minha sobrinha, mas por todas as outras colegas do curso. Muito obrigado”, disse Tovar.

A coordenadora geral da área de Direitos Humanos do IA, Ilma Oliveira, destacou a força do grupo: “foi um emocionante e motivador momento. Todas estas mulheres, venezuelanas e brasileiras, iniciam agora uma nova e importante etapa, cheia de ricos significados, especialmente ligados à ideia da esperança, do recomeço e da força do feminino que luta e constrói novas realidades. É um privilégio e uma alegria vermos a nossa proposta metodológica contribuindo para resultados tão importantes”.

Resultados – Os parceiros presentes destacaram os exitosos resultados alcançados com o término da formação do grupo, em plena pandemia: 99% de presença/frequência, 100% de certificação e nenhuma evasão. O Projeto Reinventar tem objetivo de formar integralmente mulheres refugiadas e brasileiras, aliando o desenvolvimento das competências socioemocionais às competências específicas para manutenção e instalação hidrossanitária.

Para a CEO da BRK Ambiental, Tereza Vernaglia, as mulheres que participaram do Projeto são uma verdadeira inspiração. “Estou super feliz com os resultados e em poder conhecê-las, pois sei que são mulheres guerreiras, que se superam a cada dia para estar aqui hoje. Saibam que vocês têm a minha admiração. Eu e toda a nossa equipe estamos orgulhosas de termos contribuído para a formação de mulheres fortes e, agora, encanadoras. O Brasil precisa de saneamento e de pessoas como vocês, que vão à luta para fazer a diferença. Mostrem que são mulheres brilhantes e que podem brilhar ainda mais. Essa é a essência do Projeto Reinventar e é nisso que nós acreditamos”, destacou Tereza.

Já a diretora da Foxtime, Danielle Pieroni, disse: “o Reinventar é sonho que começou em 2015, quando a gente começou um trabalho dedicado às pessoas em situação de refúgio. Naquela época, a gente queria oferecer a nossa empresa como uma ponte para a dignidade humana – que a gente acredita que só se conquista através do trabalho. A história da minha mãe, a Edinéia, fundadora e CEO da Foxtime, de alguma maneira se mistura com a história de vocês. A história de superação, da minha mãe e de vocês, traz para mim a certeza de que oportunidades valem ouro”.

Responsável pela formação específica, a gerente escolar do SENAI Paulista, Andréa Ramos, discursou com o mesmo entusiasmo, afirmando que “esta é daquelas parcerias que esperamos que se perpetue. Para as nossas alunas venezuelanas e brasileiras, o nosso muito obrigada, porque a gente sabe que é um momento de transformação, mas é também um momento de escolhas, desafios e principalmente de empoderamento. De fato, elas estão se empoderando para atender uma necessidade do nosso País. Em nome do SENAI, eu gostaria muito de agradecer a confiança de todos, dos nossos parceiros, das nossas alunas. Que elas tenham muito sucesso. Eu, enquanto mulher que também sou, vivo este momento com muita satisfação”.

Para a educadora Andréa da Hora, que esteve mais de perto com o grupo, conduzindo o itinerário formativo com oficinas de Desenvolvimento Pessoal e Social, ter participado do Reinventar foi uma oportunidade de crescimento pessoal. “Tive a honra de ser educadora deste Projeto e, a cada aula, a cada planejamento, a cada encontro, eu me certificava de que não poderia ter tido um nome melhor, para todos que de alguma forma se envolveram com ele: reinventar. Sem dúvidas, fomos desafiadas a reinventar a nossa comunicação, os nossos encontros e, sobretudo, a nossa forma de aprender. Essas 25 mulheres vivenciaram as competências socioemocionais na prática. Me despeço desta incrível experiência com uma educadora e mulher melhor. Hoje, entendo ainda mais o sentido da palavra superação. Gratidão”.