Notícias

ago 27, 2020

Docentes recebem capacitação sobre recursos digitais

O verbo aprender é constante na vida de quem escolhe ensinar. Afinal de contas, é preciso estar alinhado às mudanças que a sociedade vivencia todos os dias. As medidas de isolamento social impostas pela Covid-19 deixaram essa necessidade ainda mais evidente – de um dia para outro, professores precisaram aprender a lidar com a tecnologia e se reinventar. Atento a esse movimento, o SENAI Nacional ofereceu para docentes e analistas de educação profissional de todo o País a Oficina Mentoria na Escola Digital. Em Pernambuco, 92 profissionais da instituição participaram da capacitação. Entre eles, Wagner Alencar, docente do SENAI Araripina, que se destacou nacionalmente ao desenvolver um projeto que refletiu, diretamente, no processo de aprendizado dos alunos.

A oficina foi realizada entre os dias 16 e 30 de julho e tinha entre seus objetivos de favorecer o desenvolvimento de um mindset digital e de impulsionar o crescimento de uma cultura digital nas escolas. Além de participar de atividades síncronas e assíncronas, os participantes foram motivados a cumprirem três desafios consecutivos ao logo da oficina: fazer um vídeo explicando uma ferramenta digital útil para a prática docente; elaborar e aplicar um questionário nas escolas para entender melhor o alunado; e desenvolver um projeto que solucionasse um dos problemas identificados entre os alunos com o desafio anterior.

Docente do SENAI Araripina há pouco mais de um ano, Wagner Alencar percebeu, com o segundo desafio, que precisava motivar seus alunos a estudarem fora do horário escolar – em média, os alunos dedicavam, no máximo, três horas semanais aos seus estudos. Com esses dados em mãos e o terceiro desafio para superar, o docente se inspirou em sua própria vivência para criar um projeto. Ao longo de intercâmbio realizado nos Estados Unidos durante sua graduação em Engenharia Mecânica, o docente percebeu que seu aprendizado era melhor porque ele era motivado a estudar diariamente, após as aulas, com a realização de homeworks (atividades de casa, em português). E foi daí que ele teve sua ideia – e resolveu colocá-la em prática.

Docente Wagner durante apresentação na Oficina

“Eu criei pequenos desafios diários para que os estudantes pudessem desenvolver o hábito dos estudos. A metodologia é simples, com resumos da aula para serem entregues no dia seguinte e até divisão em pequenos grupos para apresentação de trabalhos curtos, mas trouxe resultados incríveis. Eu só precisava que eles estudassem pelo menos um pouquinho fora do horário de aula. Essa metodologia também respeita a Metodologia SENAI de Educação Profissional, que propõe o protagonismo dos estudantes”, explicou o docente. O projeto foi aplicado em uma turma da Educação Básica articulada com a Educação Profissional (EBEP) e deu tão certo que o professor percebeu uma melhora geral na turma, com repercussão inclusive nas notas dos estudantes.

O que o docente não esperava era que a Oficina traria mais um desafio extra. O docente precisaria apresentar um novo vídeo, abordando a implantação e os resultados do projeto proposto. Mais uma vez, ele preferiu dar o protagonismo aos seus estudantes, que criaram um roteiro, produziram e editaram um vídeo falando sobre a nova experiência – tudo a distância. Ao fim da oficina, o vídeo foi selecionado para ser divulgado no Geração SESI SENAI, aplicativo para trabalhadores e alunos das instituições. “A pandemia gerou mudanças em todo mundo, inclusive em mim. E esses recursos digitais podem ser nossos aliados”, disse o docente.