Notícias

mar 30, 2021

Diretor do ISI-TICs é indicado para conselho da ANPD

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) apresentou o nome do diretor do Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs), Adriano Gomes, como indicado para integrar o Conselho Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade (CNPD), órgão consultivo que apoiará o trabalho da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

O ISI-TICs é um dos 27 institutos que compõem a Rede SENAI de Inovação, o maior grupo de instituições privadas atuando com Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Brasil. Presentes nas cinco regiões do País, os institutos trabalham de forma cooperativa em todas as fases do processo inovativo, desenvolvendo pesquisa aplicada e soluções de alta complexidade para atender às necessidades do setor produtivo brasileiro. Desde o início da atuação dos primeiros institutos, em 2013, mais de 1,3 mil projetos foram desenvolvidos, beneficiando mais de 650 indústrias. A soma dos recursos investidos em inovação já ultrapassa a marca de R$ 1,2 bilhão.

“Com a confirmação dessa indicação, o SENAI, por meio de um representante que atua numa ICT, poderá contribuir diretamente nas definições de melhores e efetivas estratégias e políticas nacionais voltadas para a proteção de dados pessoais e da privacidade, trazendo o olhar e a vivência de quem inova diretamente com a indústria e a sociedade nessa nova economia digital, na qual os dados das pessoas se apresentam como um dos maiores ativos que precisam ser protegidos”, pontua Adriano Gomes.

Com 17 anos de atuação no setor de TICs, Adriano Gomes é bacharel em Engenharia da Computação e mestre e doutorando em Ciência da Computação, pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Além de somar experiências empreendedoras em empresas do Porto Digital, atuou por vários anos no desenvolvimento de projetos de inovação e relacionados a tecnologias digitais. Atualmente, ocupa o cargo de diretor interino do ISI-TICs.

CONSELHO CONSULTIVO

Ao todo, o conselho será formado por 23 membros de diversos setores, como organizações da sociedade civil, entidades representativas do setor laboral e do setor empresarial e instituições científicas, tecnológicas e de inovação. Os nomes serão avaliados pelo Conselho Diretor da ANPD, que irá encaminhar uma lista tríplice ao Governo Federal. A nomeação dos indicados será feita pelo Presidente da República. Como órgão consultivo da ANPD, o conselho será responsável por propor diretrizes e estratégicas e fornecer subsídios para a elaboração da Política Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade e para a atuação da própria ANPD, entre outras competências.