Para você

Cálculo de carga térmica – NBR16401

Cálculo de carga térmica – NBR16401

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Carga Térmica: determinação do coeficiente global de transmissão de calor (U), ganho de calor por condução em superfícies planas; 
Envoltório:
A orientação solar das fachadas;
Fontes internas de calor:
Pessoas;
Iluminação artificial;
Equipamentos de escritório;
Motores elétricos;
Outras fontes de calor e umidade relativa do ar;
Infiltrações;
Carga Soma das unidades de tratamento de ar;
Outros ganhos de calor;
Infiltração de ar externo,
Carga térmica parcial do local;
Critérios gerais:
Carga térmica das unidades de tratamento de ar;
Soma das cargas térmicas das zonas;
Outros ganhos e perdas de calor;
Ar exterior;
Psicrometia e vazão de ar;
Vazão de ar Insuflado:
Determinação do fator de calor sensível;
Temperatura de insuflação;
Capacidade Térmica do Equipamento:
Determinar vazão de ar de renovação;
Vazão de ar de retorno;
Vazão de ar de mistura;
Temperatura da mistura;
Capacidade térmica do equipamento;
Estudo de carga térmica:
Determinar a capacidade do equipamento necessário ao ambiente;
Requisitos do cliente:
Estética;
Nível de ruído;
Consumo de energia;
Requisitos técnicos:
Aplicação (cada equipamento foi projetado para atender um tipo de ambiente);
Condições de instalação (tensão adequada, distribuição de ar, passagem da tubulação de interligação e rede de dreno);
Condições de manutenção;
Carga térmica pelo método formulado pelo SENAI PE - utilizando os métodos e pré-requisitos da ABNT NBR 16401-1-2-3.

Preencha o formulário e FAÇA SEU CADASTRO